Dentro do tubo

ARMANDA CLARO

 

As fotografias que compõem esta série foram tiradas para três filmes diferentes: Odisseia de Homero (Stéphane Giusti , 2013), Bibliografia (João Manso e Miguel Manso, 2013) e Benoît Brisefer: Les taxis rouges (Manuel Pradal, 2014).

Em 2012, tive a oportunidade de comprar um sound blimp, um silenciador para a minha câmara Reflex, que passou a permitir-me tirar fotografias no preciso momento em que os planos estão a ser filmados, sem interferir com a captação do som.

Este aparato técnico ao início foi difícil de manusear. Por vezes, enquanto acertava o foco, verificava se o cabo estava bem ligado ou me posicionava para fotografar do melhor lugar possível no plateau, acabava por, sem querer, criar imagens “dentro do tubo”. As ditas imagens ganhavam então uma dimensão voyeurística: era como se estivéssemos a espreitar pela fechadura de uma porta, isto é, como se o próprio dispositivo estivesse enclausurado e só pelo tubo fosse possível vislumbrar os objectos mais próximos.

As fotografias resultantes deste processo de aprendizagem são testemunhas de um possível caminho. Jamais escolheria estas imagens para entregar ao cliente, pois as mesmas são erros, falhas, sinais de um trabalho deficiente. Aqui, no entanto, encontram um espaço para se tornarem visíveis.
 

1

2

3

4

5

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

 

Armanda Claro é fotógrafa de cena.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s